• daniele dani

Autonomia e Independência

Os pais e a escola têm de preparar a criança para resolver seus pequenos problemas sozinhos, estimulando sua autonomia e independência.

O primeiro passo para essa conquista é entender o que a criança tem capacidade de fazer, ou seja, o que as condições psicomotoras e físicas dela deles permitem que faça.


Uma Criança independente relaciona-se melhor com o mundo, por isso ao mostrar em fazer algo sozinha, os pais devem incentivá-la e parabenizá-la a cada progresso, em vez de exigir perfeição.



Os pais podem ajudar seus filhos se estiverem atentos às suas necessidades, sejam elas de carinho ou de espaço. Estar atento significa perceber os momentos em que a estimulação da independência é oportuna. Isso porque muitas crianças podem entender essa estimulação como abandono. Conhecer os gostos e anseios dos filhos é a principal forma de auxiliá-los a construírem os próprios caminhos e isso demanda passar tempo com as crianças. Outra importante ação dos pais é compartilhar as próprias experiências, incluindo deficiências e limitações. Pais que assumem uma postura de que sempre se comportaram de forma irrepreensível, na intenção de servir de modelo para os filhos, podem se tornar modelos distantes e inalcançáveis. Mostrar erros e incapacidades é mostrar-se humano e essa é uma atitude que em muito favorece o desenvolvimento da independência infantil.


Independência Infantil e Deficiência


Um dos complicadores da estimulação à independência infantil é a existência de qualquer problema no desenvolvimento físico, cognitivo ou emocional das crianças. Os pais tendem a ter dificuldades em encontrar o ponto de equilíbrio entre o proteger e o libertar. Para esses pais, vale a mesma palavra: atenção. Estar atento não às limitações e dificuldades de seus filhos, mas às suas potencialidades. Uma criança estimulada, mesmo com grau severo de comprometimento físico ou mental, pode aprender e se tornar independente. Essa independência depende do olhar dos pais e da comunidade em que essa criança está inserida para aquilo que ela “é capaz de fazer”, para que a estimulação tenha maior eficiência.


Como saber mais?




Alguns filmes ajudam a pensar a relação da atitude parental com a independência infantil. A animação Procurando Nemo (Finding Nemo, EUA, 2003) é um bom exemplo, capaz de gerar discussões interessantes a respeito do tema. Já o documentário “Pais neuróticos, filhos mimados” (BBC, GNT.Doc, 2010 – Disponível no Youtube) retrata como a pressão exercida sobre os pais, para que sejam superpais, tem prejudicado o desenvolvimento da autonomia de seus filhos. Por último, o filme Colegas (Brasil, 2013), é uma produção nacional que tem muito potencial para discutir a independência da criança e adulto com deficiência.


5 visualizações
home.png

Horário de Atendimento da Secretaria
 

2ª à 6ª das 8h às 20h
Sábado das 8h às 11h

Siga, curta ouça e compartilhe!
facebook-logo-rodape.png
instagram-logo-rodape.png
youtube-logo-rodape.png
spotify-logo-rodape.png
logo-branco-agencia-madein.png